Title Image

Entregabilidade de Email Marketing: Nossa Experiência no Projeto de Conteúdo da Afiliart

Este artigo é um pouco diferente de todos os que temos aqui no blog.

Isso porque além de ensinar e passar conceitos técnicos, quero te mostrar a nossa experiência com a entregabilidade de email marketing desde que começamos o nosso projeto de conteúdo.

E aqui mostrarei diversos erros, porque afinal foi com erros que aprendemos… Apesar de estudos cometemos falhas, mas tudo bem, isso faz parte!

Teste de Entregabilidade de Email Marketing desde o Início da Estratégia de Divulgação na Afiliart

email marketing

Caso você não saiba a Afiliart não nasceu como uma agência e nem mesmo como produtora de conteúdo.

Os primeiros trabalhos aqui foram como afiliado árbitro. Se você tiver curiosidade em saber mais sobre nossa história, te convido a clicar aqui.

Mas encurtando um pouco…

Após obter resultados satisfatórios como afiliado, o André Ravagnani (CEO da Afiliart) percebeu que era necessário uma diversificação de atuação para outras áreas do marketing digital.

Foi o início então do projeto de marketing de conteúdo dentro da Afiliart, onde começamos a trabalhar com Redes Sociais, Blog, Youtube e o principal desse artigo: Email Marketing.

Como capturamos nossos primeiros leads

Capturar leads é o primeiro passo para trabalhar com email, afinal precisamos ter para quem enviar nossas mensagens, não é mesmo?

Aqui na Afiliart nunca compramos listas de email e nem conseguimos leads de forma “ilegal”.

Desde o princípio até hoje adotamos a mesma estratégia, um pouco melhorada e com conteúdos diferentes, mas sempre com a mesma essência.

Essa estratégia é usar iscas digitais, que são maneiras de conseguir um cadastro (email), através da entrega de conteúdos de valor.

Este conteúdo pode ser um ebook, um curso básico, um webinar ou qualquer material que agregue algo para o seu público.

No começo lançamos 3 ebooks sobre marketing digital, para o visitante baixar era necessário cadastrar o seu nome e seu email.

Isso apenas utilizando o tráfego orgânico, sem pagar!

Assim, começamos nossas primeiras listas e primeiros disparos de email. 

Usando o Facebook Ads para aumentar nossos leads

Nossa segunda estratégia foi criar iscas que entregassem um valor maior do que ebooks e divulgá-las através do tráfego pago.

Criamos nossos 4 primeiros cursos, todos gratuitos e utilizamos o Facebook para capturar Leads.

Junto disso, lançamos o nosso primeiro curso pago, o INSIDE Facebook & Instagram Ads (hoje ele não está mais disponível).

Nessa época tínhamos por volta de 400 leads em nossa lista, com essa estratégia fomos para mais de 20.000 em menos de dois meses.

Aí que começamos a perceber que errar com mais leads é errar para pior, no nosso caso, claro.

O que erramos e aprendemos no último ano

Como eu disse no começo, não tivemos apenas 1 ou 2 erros e sim vários.

Aqui vou focar nos erros que comprometeram a nossa entregabilidade.

Ou seja, que fez com que nossos disparos chegassem a menos pessoas, diminuindo assim, tanto a abertura como a taxa de clique.

  • Autenticação de DNS e DMARC

Um dos primeiros passos ao criar uma conta em uma plataforma de email marketing é adicionar um email, autenticar o DNS (Domain Name System)  e DMARC (Domain-based Message Authentication, Reporting e Conformance).

No início de nossas operações, não utilizávamos o mesmo domínio de nosso site (afiliart.com) e sim um outro domínio nosso que possuía apenas uma hospedagem (afiliart.com.br).

Mas qual o problema disso?

É simples!

Hoje as plataformas de email (gmail, yahoo, hotmail…) estão cada vez mais rígidas.

Isso porque ninguém gosta de receber spam, então elas buscam entregar o melhor para os usuários.

Com o tempo várias empresas passaram a utilizar o email como estratégia de venda, algumas criando outros domínios para cadastrar.

Isso fez com que as plataformas revisassem ainda mais a veracidade de um domínio. E quando este domínio possui apenas uma hospedagem e nada mais, não tem um site ou qualquer outro conteúdo isso pode se tornar suspeito.

  • Uso de palavras consideradas de “nicho black”

Existem diversos termos e palavras que são “proibidos” no email marketing.

“Proibidos” porque apesar de poder usar, quanto mais você usar, mais pontos você perde o que também diminui a entregabilidade. 

Embora alguns desses termos sejam populares, como “emagrecer”, “compre”, “última oportunidade”, muitos ainda não são amplamente divulgado, como “curso”, “marketing digital” e outros.

Se você quer ver a lista completa de palavras evitar para seu email não cair no spam, confira nosso artigo aqui

  • Limpeza de lista

Se fossemos eleger um dos piores erros que cometemos, provavelmente seria esse.

Fazer limpeza periódica de lista de email é essencial para você garantir maior engajamento e maior entregabilidade.

Só exemplificando com um caso mais conhecido… 

Sabe quando alguém ou alguma empresa faz um sorteio no Instagram para conseguir seguidores?

Então, o número de pessoas que segue ela de fato sobe, mas nem sempre o engajamento acompanha, ainda mais quando o conteúdo rotineiro é diferente do nicho do sorteio.

O resultado disso é que ela pode ter vários seguidores e pouca interação, diminuindo assim o seu alcance, pois o Instagram entende como um conteúdo menos relevante.

Isso também acontece no email, quando você usa de iscas digitais para capturar leads, muitos desses leads só querem acessar o seu conteúdo e não vão mais abrir nenhum email.

Além disso, quando você aborda diferentes conteúdos de diferentes níveis de aprendizado pode haver um desinteresse.

Por isso, é essencial fazer uma limpeza de lista com determinada frequência.

Nós sempre fizemos limpezas, porém muito superficial, então vários leads desengajados acabavam ficando, o que prejudicou bastante nossa conta.

Hoje nossas limpezas de lista são muito mais agressivas.

  • Uso de URL (links) para domínios não autenticados

Outra prática considera ruim é inserir links para um domínio diferente do contato de email que está utilizando.

Isso porque um outro domínio é considerado com não verificado.

No ano passado, geralmente às sextas, nós enviávamos o resumo semanal para nossos alunos e leads, com os conteúdos mais relevantes da semana de diversas mídias.

Ao perceber isso como algo ruim, começamos a enviar apenas um link que apontava para uma página em nosso domínio, e nessa página nós colocávamos todos os outros links.

  • Segmentação de leads

Quando começamos a trabalhar com marketing de conteúdo não tínhamos um público específico. 

Nós produzíamos conteúdo de marketing digital para quem quisesse aprender.

Assim, atraímos pessoas das mais diversas profissões, formação e interesses, e isso trouxe algo não muito positivo, pois não tínhamos estrutura para trabalhar com todos esses públicos e nem uma estratégia eficiente de segmentação.

O que fez com que mandássemos emails de assuntos não relevantes para algumas pessoas, diminuindo nosso engajamento e por consequência, a entregabilidade.

  • Frequência de disparo e envio em blocos

Outro ponto muito importante no email marketing é definir uma frequência de disparo e segui-lá.

Não é legal para entregabilidade, disparar vários emails em uma semana, ficar 1 mês sem disparar, disparar vários novamente duas semanas seguintes e assim por diante.

O recomendado é ter uma frequência mensal, tanto em número de envios como para número de leads.

Além da frequência, algo que testamos algumas vezes na Afiliart é o envio de emails em blocos.

Ou seja, ao invés de enviar email para todos os destinatários, dividimos em parcelas menores com intervalo de 15 minutos entre eles.

Isso revelou para nós uma taxa de abertura muito maior. 

Porém, até aprender isso erramos bastante, enviando emails em frequência aleatória para toda lista de uma vez.

  • Uso de Re-Captcha e black list

Para se ter qualquer tipo de negócio, seja ele físico ou online, é necessário pensar em segurança.

Quando estamos no meio online, também sofremos com invasões, fraudes e roubos.

No ano passado tivemos um ataque no nosso domínio afiliart.com.br, o que interferiu totalmente nos disparos de email, já que nós utilizávamos este domínio.

Isso deu 2 problemas muito graves: 

  1. Conteúdos impróprios passaram a ser mandados pelo nosso email, o que chamamos de list bombing, o que poderia sujar a imagem da empresa.
  2. Vários de nossos contatos estavam indo para blacklists e nossos emails eram entregues para cada vez menos pessoas.

Uma das maneiras de solucionar este problema foi o uso de re-captcha em nossos formulários, um sistema de segurança para campos de inscrição de email.

E também pedir a remoção desses leads de black lists.

Por que trocamos de plataforma de email marketing este ano?

Depois de cometer vários erros, sendo os principais citados aqui neste artigo, passamos a ter resultados cada vez piores em nossas estratégias, mesmo corrigindo nossas falhas com o tempo.

Na tabela abaixo você pode ver o resultado por um período de aproximadamente um ano.

 

Data

Taxa abertura

Taxa de clique

Assunto

02/10/2018 37,40% 22,10% artigo
24/10/2018 23,80% 15,70% artigo
03/12/2018 19,40% 5,61% oferta
25/01/2019 20,00% 3,86% resumo
22/02/2019 17,00% 4,96% resumo
25/03/2019 14,02% 7,24% live
12/07/2019 12,50% 4,91% resumo
23/08/2019 9,04% 4,55% resumo
06/09/2019 5,41% 4,75% resumo

Ficou claro que nossos resultados estavam piorando, assim, tentamos de tudo, corrigimos todos os erros, estudamos muito,  mas as melhorias não eram significativas.

Nosso público começou a falar que nossas mensagens estavam indo para SPAM, isso mesmo trocando domínios e fazendo tudo o mais certo possível.

Decisão final para melhorar a nossa Entregabilidade de Email Marketing

Decidimos fazer um último teste, durante a black friday e o resultado foi horrível!

Taxas de abertura de 1-2% ou seja no máximo 2% do nosso público estava abrindo esses emails.

Durante todo esse período também consultamos o suporte da plataforma de email que usávamos, mas ainda assim não deu certo.

Na época nós usávamos plataforma do Leadlovers, sempre gostamos bastante dela por ser muito intuitiva, funcional e o suporte é ótimo.

Recomendamos para quem está começando, ainda mais para produtores, pois oferece tudo em um único lugar.

Porém, ela não atendia mais nossas necessidades, além de vários problemas sobre entregabilidade que não conseguimos solucionar.

Nosso teste foi então contratar outra ferramenta e fazer testes em paralelo. Foi quando percebemos que as taxas voltaram ao esperado e decidimos migrar.

Hoje estamos usando 100% uma única plataforma, a Active Campaign, a migração foi bem fácil, pois ela também é bem intuitiva.

Em breve vamos trazer um outro conteúdo com nossas impressões sobre essa plataforma.

Por enquanto é isso!

Espero que você tenha gostado, qualquer dúvida ou sugestão deixa seu comentário aqui.

E se você quer aprender mais sobre marketing digital, conheça agora mesmo a nossa nova área de membros, Por Dentro da Agência.

Com ela você terá acesso aos conteúdos e treinamentos internos da Afiliart. Além de ter a experiência real do dia a dia da empresa.

Por Dentro da Agência

Até uma próxima.